quinta-feira, 14 de agosto de 2014

SINCERIDADE SIM, GROSSERIA NÃO.

É muito comum ouvirmos pessoas se autodenominando “sinceras”, porque falam tudo o que pensam. Estes, com a justificativa da “sinceridade”, ofendem e magoam a muitos. Se alguém está acima do peso, eles falam em alto e bom som: “tá gordo, hein”! Se acham alguém feio, não se contêm e dizem: “você é feio pra caramba, hein”! Se conhecem uma pessoa desastrada, não perdem tempo e afirmam: “você não sabe fazer nada direito”! Me desculpe, mas se isso é sinceridade, nem me mostre o que é gentileza.
Ofender as pessoas, de maneira nenhuma traduz o real significado do termo sinceridade. O nome disso é grosseria; o que, definitivamente, não é uma virtude. É um defeito, pois machuca o outro e interfere nas relações interpessoais. Afinal, quem é que gosta de ser ofendido? Ninguém. Logo, o “sincero” ofensor tende a ser deixado de lado. Porque, a maioria das pessoas preferirá manter distância, em vez de ser magoado.
Na verdade, ser sincero não é falar tudo o que se pensa. Isso é inconsequência. Até porque, não precisamos falar tudo o que pensamos. A Bíblia, inclusive, diz que temos de ser tardios para falar (Tg 1.19). Não é errado manter o silêncio. A Escritura afirma que há “tempo de estar calado e tempo de falar” (Ec 3.7). Em Provérbios 17.28, ressalta-se que “até o tolo, quando se cala, será reputado por sábio”. Portanto, muitas vezes, é mais sábio ficar calado do que falar e ser mal entendido ou ferir pessoas.
Por isso, Deus nos deu a capacidade de falar sem usar a voz, apenas pensando, e externar o que pensamos através da fala: porque há pensamentos que devem permanecer em nossas mentes. Se porventura você tem dificuldade em segurar sua língua, faça como o salmista: peça a Deus que lhe dê o controle necessário. “Põe, ó SENHOR, uma guarda à minha boca; guarda a porta dos meus lábios” (Sl 141.3).
De nossos lábios devem sair somente palavras edificantes. A esse respeito, a Bíblia diz: “Não saia da vossa boca nenhuma palavra torpe, mas só a que for boa para promover a edificação, para que dê graça aos que a ouvem” (Ef 4.29). Porquanto, como salienta o texto bíblico, só o tolo tem prazer em descobrir seu coração (Pv 18.2), ou seja, só o insensato se compraz em tornar públicos todos os seus pensamentos.
A palavra sincero vem do latim sincerus, que dá a ideia de algo que cresce sempre da mesma maneira, igual a si mesmo, sem qualquer impureza. Isto é, ser sincero é ser verdadeiro, é viver aquilo que falamos e falar aquilo que vivemos, não ofender os outros. Sinceridade é não ter duas caras, não falar mal dos outros pelas costas. Uma fé sincera é uma fé verdadeira, não uma fé que me leva a agredir pessoas, mas que me leva a atitudes que evidenciem que sou discípulo de Jesus. Busque a verdadeira sinceridade, não esse falso entendimento defendido por alguns. Seja verdadeiro!
Pr. Cremilson Meirelles  



Nenhum comentário:

Postar um comentário