terça-feira, 30 de julho de 2013

EXISTEM MALDIÇÕES HEREDITÁRIAS?



Será que algo que meus pais ou meus avós fizeram pode me afetar na “esfera espiritual”? Por exemplo, se meu pai tivesse servido a Satanás e me oferecido ao demônio quando nasci eu estaria fadado ao fracasso caso não quebrasse essa maldição, mesmo tendo recebido a Cristo como Salvador? Isso não só é um absurdo como também é uma heresia, visto que não há nenhuma fundamentação bíblica para tal afirmação. Trata-se de mais uma tentativa humana de, tal como aconteceu no Éden, transferir a responsabilidade pelas consequências de seus próprios erros. Ninguém quer assumir o erro, a culpa é do diabo, do meu irmão, dos meus pais, avós, etc.
O texto usado como base para essa doutrina herética é Êxodo 20.5, pois, no texto, Deus declara que visita a maldade dos pais nos filhos até a quarta geração. É óbvio, entretanto, que tal assertiva fora feita em um contexto particular e dirigida ao povo de Israel, porquanto, naquela época era comum a convivência de várias gerações ao mesmo tempo. Por exemplo: 1ª Pai, 2ª Filhos, 3ª Netos, 4ª Bisnetos. Todos esses eram comandados pelo patriarca. Ele era o líder do clã. Sendo assim, a religião seguida por ele seria também adotada por toda a família. Por isso, Deus alerta o povo. Pois, se o patriarca adotasse o paganismo cananeu, toda a família cederia, e, se todos cedessem, todos seriam castigados. Por que “a alma que pecar essa morrerá” (Ez 18.4).
A doutrina de maldições hereditárias esbarra na falta de uniformidade dos textos que, supostamente, a sustentam. Isto fica claro, por exemplo, em Dt 24.16 e Ez 18. No versículo 20 de Ezequiel 18, inclusive, esse pensamento é jogado por terra, pois o profeta assevera: “A alma que pecar, essa morrerá; o filho não levará a iniquidade do pai, nem o pai levará a iniquidade do filho. A justiça do justo ficará sobre ele e a impiedade do ímpio cairá sobre ele”. Se você não quiser me ouvir, pelo menos ouça a Escritura. Abandone essa besteira de maldição hereditária.

Pr. Cremilson Meirelles

Nenhum comentário:

Postar um comentário