terça-feira, 6 de outubro de 2015

TERMOS EVANGÉLICOS QUE MUITOS EVANGÉLICOS NÃO SABEM O SIGNIFICADO – PARTE I

Pastoral redigida para o boletim dominical da Primeira Igreja Batista em Manoel Corrêa
A linguagem evangélica contemporânea é caracterizada por uma fraseologia padrão, baseada nos textos bíblicos. Termos como aleluia, amém, varão e bênção são usados com regularidade no âmbito eclesiástico, seja nos cânticos ou no discurso dos crentes. O curioso, entretanto, é que muitos dos que utilizam essas expressões não fazem ideia do seu significado. Por conta disso, considerei relevante conceitua-las nesta pastoral.
Sem dúvida alguma, dentre as palavras mencionadas, a mais empregada é o “amém”. Em razão disso, seu significado é bem mais conhecido que o das demais. Porém, sempre há quem não o saiba. Por isso, lá vai: “amém” é uma palavra de origem hebraica, que, literalmente, quer dizer “assim seja”. A partir daí é possível concluir que sua utilização deve ocorrer no fim de orações ou declarações com as quais concordamos. Sendo assim, só faz sentido dizê-lo se, de fato, entendermos o que foi dito (1Coríntios 14.16).
Outro termo pronunciado com bastante frequência nas reuniões evangélicas é o “aleluia”. Este, ao contrário do “amém”, possui um significado desconhecido por muitos crentes. Alguns, inclusive, guiados por esse desconhecimento, o usam indiscriminadamente, a fim de preencher o espaço vazio de suas pregações. Portanto, para evitar esse erro, aprenda: “aleluia” significa “louve ao Senhor”. Normalmente, a palavra é usada como expressão de louvor a Deus, tanto na adoração congregacional como no culto particular. Vale ressaltar, entretanto, que a Bíblia não nos incentiva a gritarmos “aleluia” ou “glória a Deus”, mas nos concita a fazermos tudo “decentemente e com ordem” (1Coríntios 14.40). Afinal, como comentam alguns, Deus não é surdo.
Dando sequência ao nosso “glossário evangélico”, resta-nos ainda dois termos a serem abordados: “varão” e “bênção”. O primeiro, como a maioria deve saber, indica um indivíduo do sexo masculino. Contudo, é importante ressaltar que essa palavra só aparece nas versões mais antigas das Escrituras. Nas mais recentes, homem é chamado de homem. Mesmo assim, há quem pense que o “homem cristão” deve ser chamado de varão, o que é absurdo, uma vez que, nos idiomas originais da Bíblia, os termos traduzidos como varão significam homem e não, exclusivamente, “varão”, como se esta fosse uma palavra especial, revestida de sacralidade. Eu hein! Remeter-se a alguém dizendo, - e aí varão; é o mesmo que dizer: - e aí homem! Esquisito, né? Por isso, é melhor chamar as pessoas pelo nome, ou usar o vocativo “irmão”.
A respeito da palavra “bênção”, vale salientar que equivale a “bendição”, que é o oposto de “maldição”, e traz em si a ideia de invocar o favor de Deus sobre uma pessoa ou um povo (Números 6.22-27). Além disso, pode referir-se a favores e vantagens que Deus concede, comunicando-nos prazer ou felicidade. Há ainda um uso coloquial, mais abreviado, conhecido como “bênça”. É claro que esta forma não se enquadra na norma culta da língua portuguesa.
Pr. Cremilson Meirelles 

Nenhum comentário:

Postar um comentário