sexta-feira, 3 de outubro de 2014

ENTENDENDO A BÍBLIA

Nos dias de hoje, mesmo após o desenvolvimento do estudo teológico, vemos pessoas que insistem em interpretar literalmente todas as afirmações bíblicas. Essa postura leva, inevitavelmente, o indivíduo à construção de pensamentos heréticos e antibíblicos. Porquanto, o texto bíblico, assim como as frases que dizemos no dia a dia, pode possuir tanto um sentido literal como um sentido figurado.
O sentido literal é aquele que se limita ao sentido básico das palavras, podendo ser compreendido sem ajuda do contexto. É o sentido das palavras tal como se encontra no dicionário. Por exemplo: “No princípio, criou Deus os céus e a terra”. Ora, não tem como entender outra coisa nesse texto, a não ser que, no princípio, Deus criou tudo o que existe. Isto é, o texto é literal.
O sentido figurado, ao contrário, amplia ou altera o significado das palavras. Quando alguém diz que está “morrendo de fome”, por exemplo, sabemos que a pessoa não está prestes a morrer, mas ela quer dizer que está com muito apetite. O mesmo ocorre na Bíblia. Há diversas passagens que empregam esse sentido. Não podemos entendê-las literalmente. Já imaginou se o fizéssemos?!? Quando Jesus disse “Eu sou a porta”, por exemplo, iríamos achar que Ele é feito de madeira e tem maçaneta. Um absurdo, não é?
O grande problema, entretanto, é que sempre há aqueles que utilizam as interpretações descritas acima da maneira que lhe convém, desrespeitando o sentido apresentado pela Escritura. Os que interpretam literalmente os versículos, normalmente, tendem ao radicalismo, enquanto os que optam exclusivamente pelo sentido figurado, acabam forçando o texto a dizer o que desejam.
Contudo, de ambos os lados, o que impera é a conveniência. Isto porque, quem gosta da interpretação literal, quando convém diz que é figurado. Um exemplo disso é o texto de Mateus 5.29,30, onde Jesus diz para arrancar fora o que nos faz pecar. À exceção de Orígenes, homem que se mutilou por causa desse texto, ninguém quer interpretar esses versículos literalmente.
Amado, para compreender a Escritura é necessário muito mais que oração. É preciso conhecer o contexto histórico, social e cultural da época. Conhecer os idiomas originais também é de suma importância, pois há textos difíceis de entender, onde só a análise do grego e do hebraico pode fornecer respostas. Só assim poderemos concluir se um texto é literal ou figurado. Orar é importante, mas só a oração não leva ao entendimento real do texto. Por isso, vamos valorizar cada vez mais o estudo da Palavra, seja no templo ou nos lares, mas vamos estudar a Bíblia!

Pr. Cremilson Meirelles

Nenhum comentário:

Postar um comentário