quarta-feira, 14 de maio de 2014

FAMÍLIA: UMA INSTITUIÇÃO ERGUIDA POR DEUS

"É muito bom viver em família! É mais que uma necessidade, é um prazer". Ao olhar para a família muitos fazem afirmações desse tipo. Alguns, inclusive, chegam até a dizer, com um sorriso estampado no rosto: "é... tudo que Deus faz é bom". Entretanto, a vida em família nos proporciona uma alternância entre momentos bons e difíceis; e, infelizmente, há grupos familiares que experimentam constantemente o sofrimento e as decepções. Talvez por isso, alguns a considerem um ambiente ruim, chegando, até mesmo, a afirmar que se trata de uma instituição falida. Isto porque, ao invés de reconhecerem que os falidos são eles mesmos, transferem a culpa para os outros. Nessa história, até Deus é colocado, por alguns, no banco dos réus. Porquanto, conforme entendem, se Ele criou a família, e ela não vai bem, significa que o Senhor cometeu um grande erro. Esse é o cúmulo da transferência de culpa! Deus criou, mas foi o homem quem bagunçou! O mesmo continua ocorrendo na atualidade; o homem coloca os pés pelas mãos, mas continua replicando: “... foi a mulher que Tu me deste”! Aliás, uma das características mais marcantes da humanidade é a constante tentativa de se justificar. É um fato: o ser humano tem dificuldade de reconhecer seus erros. Na teoria, falamos que os reconhecemos, mas na prática, continuamos tentando nos justificar perante os homens e perante Deus.
Querido, o Todo-poderoso não instituiu a família visando o seu fracasso, Ele não nos deu mandamentos para que os contemplássemos e disséssemos: é... ninguém é capaz de realizar isso! Não! Não foi para isso que Ele nos recriou em Cristo Jesus! Não foi para isso que Ele nos deu Sua Palavra! Não foi para isso que Ele instituiu a família! Na verdade, o altíssimo quis compartilhar conosco aquilo que desde a eternidade Ele, na sua triunidade, já desfrutava, a saber: a vida em família. Tudo o que existe é resultado da ação familiar do Deus triúno. Pai, Filho e Espírito Santo, a família perfeita. Foi com base nela que a família humana teve início. Nosso modelo, portanto, deve ser divino, não humano. A falência da família humana é resultado da falência moral do homem caído. Não se trata, portanto, de uma falha divina. Até porque, Ele não falha. Assim, se quisermos viver feliz em família, precisamos buscar orientações da família mais feliz do universo: a Trindade. O melhor de tudo, no entanto, é que esses conselhos nos são concedidos gratuitamente através da Palavra de Deus. Basta meditarmos nela e a praticarmos. Um dos princípios bíblicos mais básicos em relação à família é: “o que Deus ajuntou não separe o homem” (Mateus 19.6). Mas o que Deus ajuntou? A resposta é simples: macho e fêmea, não o joãozinho e a mariazinha! Não use essa história de que o seu casamento não é de Deus para justificar a dissolução do matrimônio. Deixe o ego de lado e tente resolver os problemas, ao invés de aumentá-los, com acusações e discussões infindáveis. Não esqueça que “a palavra branda desvia o furor, mas a dura suscita a ira” (Provérbios 15.1). Deixe Deus guiar o seu lar!
Pr. Cremilson Meirelles



2 comentários:

  1. Muito bom meu amigo, realmete existe uma mobilização demoníaca para desestabílizar a família e lançar enganos entre nós. Devemos lutar com todas as nossas forças para que a família vença o mal que vem tentando nos assolar. A paz seja com todos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Infelizmente, muitos ainda contribuem para que essa artimanha de Satanás logre êxito. Nós, porém, façamos o contrário, vivamos o evangelho, e não o que a mídia e a sociedade nos dizem.

      Excluir