terça-feira, 11 de março de 2014

O QUE NOS MOTIVA?

Nesta pastoral pretendo te levar a refletir sobre a razão pela qual fazemos o que fazemos. Por isso, quero te fazer algumas perguntas: o que nos faz ir ao templo? Já parou para pensar nisso? Será que comparecemos porque esperamos receber algo com isso? Com certeza, essa é a motivação de alguns. O pior de tudo é que esse pensamento é incentivado pelos líderes. Isto porque, muitos apresentam o templo como o lugar da bênção; ensinam que ser um frequentador assíduo garante bênçãos especiais. Isto gera pessoas egoístas, que acham que Deus tem como obrigação abençoá-las porque vão ao templo, que não se importam com quem está sentado ao lado porque o mais importante é “receber a bênção”. Essas mesmas pessoas, entretanto, quando enfrentam alguma adversidade, imediatamente questionam: “como pode Deus permitir que eu sofresse assim estando na igreja?!? De que adianta vir à igreja então se continuo sofrendo? Não muda nada! As coisas só pioram”! Seguindo esse raciocínio, muitos abandonam suas comunidades de fé.
Contudo, permanece a pergunta: por que vamos ao templo? Para cantar, tocar, dirigir ou pregar? Para alguns, sem dúvida, esse é o fator motivador. Porquanto, não entenderam o que é ser igreja de fato; acham que a igreja é o templo, e que a vida cristã só acontece dentro dos limites dessa edificação, ficando restrita às apresentações musicais, teatrais, coreográficas e à boa retórica. Me desculpe, mas isso não é ser igreja, pois esta é um organismo vivo, composto de pessoas, não um prédio. Até porque, se o templo desabar, a igreja de Cristo continua. Não precisamos de apresentações musicais para adorar a Deus; não podemos ser apenas um auditório que segue as ordens de um animador de palco; temos de compreender qual o nosso verdadeiro propósito neste mundo: glorificar ao Senhor. Como fazemos isso? Simples: amando a Ele e ao próximo. No entanto, é necessário um amor mais prático do que teórico, um sentimento maduro que nos leve a compreender e perdoar o outro, mesmo que ele erre conosco; um sentimento que nos leve a abraçar o diferente e inserir quem quer que seja no grupo. De outra maneira, continuaremos presos ao templo, aos cargos, às picuinhas, etc.
Como responder essa questão? O que, de fato, nos motiva a irmos ao templo? Será que vamos por que alguém nos obriga? Isso explicaria a irreverência de alguns, que conversam e usam aparelhos eletrônicos durante a programação; mas será que essa é a resposta? Penso que não. No entanto, não posso responder por todos. Por isso, direi o que me motiva. Eu venho ao templo porque Jesus Cristo me salvou e me inseriu no seu corpo, o qual foi nomeado por Ele como igreja. Desde então, não consigo ficar longe dessa família. Ora, como o templo é o lugar onde a igreja se reúne, é pra lá que eu vou. Não dá pra ser crente longe da igreja. Quando digo igreja me refiro às pessoas, não ao templo; mas, como falei, as pessoas se reúnem no templo, por isso vou lá. Porém, não paro por aí, vou às reuniões nos lares, aos cultos ao ar livre, aos passeios. Onde quer que a igreja estiver, lá estarei. Faça isso também. Seja corpo de Cristo! Deixe o Espírito Santo de motivar!
Pr. Cremilson Meirelles 

Nenhum comentário:

Postar um comentário