terça-feira, 9 de julho de 2013

O MUNDO PERFEITO



Noutro dia acordei e percebi que estava em outro mundo. Era um mundo diferente, onde a Bíblia era a única regra de fé e prática para os cristãos. Ninguém queria aprender os nomes dos demônios, nem suas doutrinas, pois, com base na Escritura, entendiam que a postura do cristão diante das investidas de Satanás deveria ser de resistência, não de ataques tresloucados recheados de atos proféticos, mapeamentos espirituais, orações de guerra, objetos ungidos, etc. Todos criam que a verdadeira Batalha Espiritual é a luta pela santidade, e não andar por aí procurando endemoninhados para expulsar os espíritos malignos.
Nesse mundo não existia a ideia de que nossas palavras têm poder para abençoar e amaldiçoar os outros. Ninguém andava por aí profetizando sobre a vida do outro. Até porque, não conseguiam contrariar 2Pe 1.21. Todos criam que todo o poder pertence a Deus (Sl 62.11). Sendo assim, entendiam que só a Palavra dEle tem poder. Por conta disso, nenhum crente buscava poder, pois sabiam que homem algum poderia obter aquilo que só Deus tem. Além disso, não havia uma busca desenfreada por novas unções, visto que, conforme diz a Escritura, a unção é o próprio Espírito Santo (1Jo 2.20), e não um fluido que corre pelo corpo como energia elétrica.
Naquela terra maravilhosa, a televisão não dominava os crentes. Até as irmãs mais idosas não se interessavam por telenovelas. O mais impressionante era que os jovens não seguiam as tribos mundanas, não ouviam músicas seculares, não tinham relações antes do casamento e nem proferiam palavras torpes. Pelo contrário, a juventude gostava de orar, de evangelizar, de ouvir mensagens e de ler a Bíblia. As músicas cantadas tinham letras cativantes, sempre baseadas na sã doutrina.
Entretanto, de repente ouvi um barulho ensurdecedor. Então, eu acordei e percebi que o barulho vinha do meu celular que despertava. Que pena! Era apenas um sonho. O mundo utópico que tive a oportunidade de contemplar, na verdade, não existia. Tive que novamente caminhar como herege nessa terra onde o Evangelho genuíno agride os ouvidos dos “evangélicos” e os pregadores da verdade são reputados como hereges, à guisa dos profetas do Antigo Testamento.

Pr. Cremilson Meirelles

Nenhum comentário:

Postar um comentário